Buscar

Parque Histórico confirma participação na 15ª Primavera de Museus

Texto: Parque Histórico

Devido à pandemia esse é o segundo ano consecutivo em que o museu aposta em ações virtuais para definir a programação do evento realizado pelo IBRAM



Propondo uma reflexão sobre o momento vivido pelos museus e instituições culturais, devido à pandemia do Coronavírus, o tema da 15ª Primavera de Museus promovida pelo Instituto Brasileiro de Museu (IBRAM) é Museus: Perdas e Recomeços. Para participar do evento museal que acontecerá entre os dias 20 e 26 de setembro o Parque Histórico organizou uma programação remota.


Esse é o segundo ano consecutivo em que o museu segue com o protocolo de segurança para prevenção ao contágio do COVID-19 e decide preparar ações virtuais. "As atividades da Primavera de Museus neste ano serão novamente na modalidade remota, decidimos seguir essa linha para garantir a segurança dos visitantes, mas também do nosso corpo técnico”, comenta Felipe Pedroso que é historiador e coordenador cultural do Parque Histórico.


O historiador responsável pelo Núcleo Educativo, Lucas Kugler, complementa que as ações realizadas via web alcançam o público onde quer que esteja. “As atividades seguem no formato digital o que possibilita aumentar a acessibilidade do museu e democratizar o seu acesso de maneira mais ampla - para além do físico”.


Esta edição do evento sugere que as instituições museais e culturais analisem o contexto vivido no período pandêmico, explica Kugler. “Norteada pelo IBRAM, a Primavera de Museus propicia uma ação conjunta entre as diversas instituições museológicas através de um tema anual.


Neste ano nos faz refletir sobre as experiências humanas que ocorrem nestes espaços, como a conexão entre o passado e os processos de reinvenção que ocorrem no presente”. Pedroso acrescenta que é necessário discutir o tema que leva a refletir no cenário atual. "A temática escolhida para essa edição é muito pertinente com o que o campo de atuação vem passando no Brasil e no mundo nos últimos tempos: Museus Perdas e Recomeços. Desta forma optamos em elaborar uma programação mais voltada para o pensamento crítico, onde iremos abordar esse assunto correlacionado com nossas áreas de interesse, ou seja, a história de Carambeí. Iremos ter também pela primeira vez, atividades em conjunto com os museus integrantes da Associação dos Museus dos Campos Gerais (AMCG)."


A programação elaborada pelo Núcleo Educativo do Parque Histórico será pautada na temática Museus: Perdas e Recomeços e reunirá profissionais para debater em ações virtuais. "Nossas atividades serão mais pautadas em conversas com outros profissionais e pesquisadores. Programamos podcasts e lives e esperamos o engajamento da sociedade para construirmos juntos possibilidade de crescimento no setor”, explica o coordenador cultural.

Para mais informações entrem em contato pelo telefone 42 98433-4639 ou acesse o site www.aphc.com.br.